Os radicais livres e o processo de envelhecimento

Os radicais livres e o processo de envelhecimento

Não é de hoje que ouvimos falar sobre os danos causados pelos radicais livres, que são os maiores responsáveis pelo envelhecimento. Nesse artigo vamos desvendar quem eles são e de qual forma atuam em nosso organismo.

Os radicais livres podem ser gerados por intermediários metabólicos naturais, ou por fatores ambientais, como poluentes químicos (dióxido de nitrogênio, ozônio, fumaça de cigarro, etc), drogas, álcool, radiação ultravioleta (290-320nm) e também por outros radicais livres.

Os radicais superóxido (O2 -), o peróxido de hidrogênio (H2 O2), o radical hidroxila (OH) e oxigênio nascente (O), são conhecidos como os maiores responsáveis pelo processo de envelhecimento. Seus principais efeitos incluem alteração citotóxica de enzimas e ácidos nuclêicos, e a peroxidação de lipídios que resultam na perda da integridade da membrana celular.

O corpo humano possui um sistema enzimático protetor que procura manter a concentração dessas moléculas oxidantes em equilíbrio, a fim de minimizar seus efeitos deletérios. Quando sua ação protetora é ultrapassada, devido a razões fisiológicas ou ambientais, os primeiros sinais visíveis de mudança aparecem na superfície da pele, como uma indicação do processo de envelhecimento.

Esse processo é frequentemente associado a um severo desequilíbrio da qualidade de vida. Os RL interferem em todo organismo provocando alterações nas células, nos produtos que estas sintetizam e atinge o DNA provocando a mutação da célula e a formação de neoplasias que podem ser malignas ou benignas.

Os antioxidantes atuam oferecendo aquilo que os radicais livres precisam, ou seja, os elétrons que eles buscam para se estabilizar. Assim, os antioxidantes neutralizam a ação dos RL, revertendo, ou até detendo, os danos por eles causados.

Portanto, ao se elaborar produtos preventivos de envelhecimento para o tratamento da pele, é de grande interesse avaliar os antioxidantes, especialmente aqueles de origem natural, que tenham a capacidade de inibir os radicais livres.

Fontes:
1 – ION Química
2 – Cosmetologia: descomplicando os princípios ativos/ Gomes Rosaline Kelly, Marlene Gabriel Damasio. – 4 ed. – São Paulo: Livraria Médica Paulista Editora, 2013.